Antinomias da igualdade e da diferença na sociedade contemporânea

Maria Thereza Rosa Ribeiro

Resumo


Arecente decisão do Supremo Tribunal de Justiça (STF) brasileiro, em 2011,acerca do reconhecimento da união homoafetiva nos traz à cena o propósito daabordagem sobre a antinomia da igualdade e diferença na sociedadecontemporânea. A tese deste artigo está em demonstrar que na decisão dos atoresdo judiciário, no que tange ao argumento jurídico da aprovação da uniãohomoafetiva, pode-se captar argumentos de justificação dos “direitos dosindivíduos a ter direitos”, similar à interpretação de autores que desenvolvema problemática da igualdade e diferença no campo teórico das ciências sociais.Para analisar essa dupla hermenêutica que se apresenta articulada no discursojurídico dos atores (dez ministros) do STJ, recorre-se aos aportes de ClaudeLefort, Louis Dumont e Nancy Fraser. Resgata-se, nesses autores, a interpretaçãodos direitos humanos e das circunstâncias em que surge a ideia de indivíduoenquanto um ator social, bem como a reflexão sobre as formas de convivênciaspossíveis entre os indivíduos na sociedade contemporânea.

Palavras-chave


sociologia, direitos do homem, igualdade,diferença, ator social, justiça

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Qualis: B2 (Serviço Social), B5 (Direito), B2 (Interdisciplinar) e B4 (Enfermagem)