Rebatimentos do processo de "assistencialização" da proteção social no serviço social previdenciário

Silvina Verônica Galizia, Adriana Pereira da Fonseca

Resumo


O final do século XX e o início do século XXI são cenários da
consolidação e ampliação das reformas neoliberais, as quais têm promovido uma reestruturação do sistema de proteção social brasileiro. Estas modificações vêm apresentando uma tendência à valorização do desenvolvimento de programas assistenciais em detrimento de outras políticas sociais no âmbito da proteção social, o denominado processo de “assistencialização”. Este fato possui relação direta com a atuação do assistente social como executor, formulador e avaliador destas políticas, principalmente, quando se encontra inserido em um dos três pilares da Seguridade Social – saúde, assistência e previdência. É nesta última área que este trabalho se concentra. Assim, a pesquisa tem como objetivo estudar quais são os reais rebatimentos dessas transformações para o exercício profissional dos assistentes sociais, realizando uma reflexão sobre o atual fazer profissional na previdência social e estudando como estas mudanças podem significar uma reorientação do fazer profissional.

Palavras-chave


neoliberalismo; proteção social; previdência; “Assistencialização”; Serviço Social

Texto completo: Sem título

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Qualis: B2 (Serviço Social), B5 (Direito), B2 (Interdisciplinar) e B4 (Enfermagem)