Apoio social e sobrecarga familiar: um olhar sobre o cuidado cotidiano ao portador de transtorno mental

Liane Maria Monteiro da Fonte, Danielle Duarte Gomes de Melo

Resumo


Com processo de desinstitucionalização psiquiátrica, cuja ênfase é a provisão de serviços comunitários de saúde mental e períodos mais curtos de hospitalização, as famílias se tornam as principais provedoras de cuidados e apoio aos pacientes. O objetivo deste artigo é analisar as repercussões da presença de um portador de transtorno mental no contexto e vivência familiar. A análise tem como base entrevistas semi-estruturadas realizadas com familiares cuidadores, selecionados a partir de uma amostra de usuários cadastrados em um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), localizado em Recife. Conceitos importantes ao tema, tais como, redes sociais, apoio social e sobrecarga familiar, foram utilizados para nortear a coleta e análise dos dados. Este estudo aponta para a importância da orientação e suporte às famílias por parte dos serviços de atenção à saúde mental visando diminuir a sobrecarga sentida pelos familiares.


Palavras-chave


Desinstitucionalização; transtorno mental; apoio social; sobrecarga familiar

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Qualis: B2 (Serviço Social), B5 (Direito), B2 (Interdisciplinar) e B4 (Enfermagem)