Incubadoras Sociais Universitárias e o processo de incubação: elementos para o enfrentamento da extrema pobreza

Fabio Jardel Gaviraghi, Caroline Goerck

Resumo


O artigo objetivou analisar como as incubadoras universitárias através da incubação contribuíram ou não para o enfrentamento da extrema pobreza socioeconômica na Região Sul do Brasil. As incubadoras Sociais Universitárias. As ISUs como instituições apoiadoras da organização de iniciativas de economia solidária são, muitas vezes, a única possibilidade para alguns grupos sociais ameaçados de exclusão. Como tais, são permeadas por desafios oriundos da organização societária, que tem valorado em especial os princípios dos ditames do capital, da globalização econômica e do ideário neoliberal e, talvez, da supervalorização do conhecimento científico. Constatou-se que estas incubadoras possibilitaram o acesso a renda e enfrentando à extrema pobreza, porém de forma limitada. Constatou-se que apesar da melhoria dos rendimentos, os trabalhadores não obtiveram condições de vida que promovesse a emancipação humana e autonomia frente ao mercado de trabalho.

Palavras-chave


Pobreza Socioeconômica, Geração de Trabalho e Renda e Incubadoras Sociais

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Qualis: B2 (Serviço Social), B5 (Direito), B2 (Interdisciplinar) e B4 (Enfermagem)