Um lugar mais justo para a mulher: desafios para uma democracia inclusiva ao gênero

Sávia Lorena Barreto Carvalho de Sousa, Inez Sampaio Nery

Resumo


Aborda-se uma interlocução analítica entre políticas públicas, teoria política tradicional e a temática de gênero, buscando localizar na literatura conceitos que permitam problematizar a desigualdade em termos gerais e específicos ao analisar a dimensão de gênero inserida nos pressupostos gerais da democracia. Para isso, trabalha-se os pensamentos de Dahl (1987), Douglas (1998), Giddens (1996) e Biroli (2018). Através de uma pesquisa bibliográfica e teórica, com seleção intencional de literatura, analisa-se as seguintes categorias: minorias, instituições e representatividade nas democracias, estabelecendo a partir dessas categorias uma reflexão acerca das possibilidades de ampliação da igualdade no interior dos regimes democráticos via políticas públicas. Em síntese, conclui-se que um Estado que abarque as perspectivas de gênero dá um passo a mais para garantir a ampliação da igualdade em termos efetivos nas instituições, fornecendo saídas aos dilemas da exclusão feminina na narrativa política e suas consequências para uma sociedade menos desigual.


Palavras-chave


Democracia; Desigualdade; Instituições; Gênero; Políticas Públicas

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Qualis: B2 (Serviço Social), B5 (Direito), B2 (Interdisciplinar) e B4 (Enfermagem)