Mulher, pobreza e violência – a face perversa da desigualdade de gênero

Maíra Soalheiro Soalheiro Grade, Antônio Rediver Guizzo

Resumo


Este artigo se propõe a analisar a persistência dos índices de pobreza e do crescimento constante da miséria e desigualdade; pretende-se, ainda, analisar se a vulnerabilidade constante do conceito de pobreza como privação de capacidades, desenvolvido por Amartya Sen (2000), quando se trata de mulheres em situação de extrema pobreza, pode constituir um fator relevante para a ocorrência de violência doméstica. Para a consecução de tal objetivo, utilizaremos o método bibliográfico, por meio de aportes teóricos referentes à pobreza provenientes de Pierre Bourdieu, Amartya Sen, Robert Castel, além de outros autores, e também da análise de dados extraídos uma pesquisa realizada com mulheres em situação de pobreza no Brasil. Nesse sentido, a percepção de renda e o combate à situação de pobreza dessas mulheres poderia significar o fortalecimento de suas capacidades humanas e a possibilidade de desenvolver uma vida livre de violência.


Palavras-chave


Mulher; desigualdade; pobreza; violência.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Qualis: B2 (Serviço Social), B5 (Direito), B2 (Interdisciplinar) e B4 (Enfermagem)