Reação social e vitimização em Montes Claros/MG: um diagnóstico do perfil das vítimas de crime e da subnotificação

Pedro Ivo Jorge Gomes, Herbert Toledo Martins

Resumo


Resumo: presente trabalho analisa o ambiente de oportunidades criado pela modernidade que une, no tempo e no espaço, vítimas e autores de crimes. O plano de fundo desta análise foi a aplicação da Teoria das Abordagens das Atividades Rotineiras ao contexto urbano da cidade de Montes Claros/MG. A partir da referida teoria buscou-se analisar a criminalidade na perspectiva das vítimas de crimes, observando-se as ações individuais e as rotinas sociais que favorecem à vitimização. O objetivo do estudo foi identificar o perfil socioeconômico e os hábitos comportamentais das vítimas de crimes, bem como sua experiência com as instituições de segurança pública. Para a análise

foram utilizadas informações coletas em um survey de vitimização e dados oficiais da Polícia Militar de Minas Gerais. Os resultados indicam que pessoas com determinados atributos e práticas comportamentais têm maior probabilidade de se tornarem vítimas. Além disso, foi possível perceber que a relação entre sociedade e instituições de segurança, principalmente as polícias,

não converge para o mesmo objetivo. Observou-se divergência ideológica entre a atuação da polícia desejada pela sociedade e os objetivos institucionais

definidos pela instituição para cumprir o seu papel social.


Palavras-chave


Reação social. Vitimização. Subnotificação. Montes Claros-MG

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

Qualis: B2 (Serviço Social), B5 (Direito), B2 (Interdisciplinar) e B4 (Enfermagem)