Fotojornalismo como Texto Híbrido: Perturbação de Discursos Hegemônicos por meio de Temporalidades Alternativas

Laís Santoyo Lopes

Resumo


O objeto de estudo da presente pesquisa é o fotojornalismo e sua montagem no jornalismo impresso, focando na dimensão sócio-cultural e semiótica de diferentes modelos narrativos, e cognitivos, possíveis ao utilizá-lo como legitimador de ordens político-econômicas. O objetivo é investigar se a montagem fotojornalística possibilita desencadear um processo cognitivo relacional no leitor que buscaria construir visibilidades alternativas a partir de uma visualidade dada, questionando a própria natureza fixa do conhecimento. Especificamente, busca-se apontar as diferentes temporalidades que convivem na notícia, sugerindo que o texto fotográfico híbrido pode criar brechas na narrativa binária moderna do constante progresso. Seu objeto empírico é uma reportagem sobre os 50 anos da Revolução Chinesa e o sucesso do modelo econômico capitalista do jornal brasileiro Folha de S. Paulo.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.