Forças Centrífugas e Centrípetas na Leitura da Poesia Concreta: o caso dos conceitos-formas de Stanisław Dróżdż

Małgorzata Kłoskowicz

Resumo


Esse texto descreve as relações entre um poema concreto e seu leitor em processo de leitura (percepção). No processo de escrutínio da poesia concreta polonesa continuamente criada ao longo dos últimos 40 anos por Stanisław Dróżdż, propomos observar duas vias de leitura, baseadas em tendências centrífugas e centrípetas da atividade mental do leitor. O ponto de referência da primeira estratégia é o mundo do leitor, incluindo suas associações e expectativas. A analise foca num poema concreto, e envolve sua translação num discurso linear. A outra forma de leitura começa com a suspensão das associações do leitor. Essa estratégia está enraizada nas regras do mundo da poesia concreta e adota traços “concretos” desenvolvidos. Nossa análise é ilustrada por dois exemplos: Zapominanie (Esquecer) e Ludzie/Człowiek (Pessoa/Humano).

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.