O papel do auto-conceito na motivação de alunos brasileiros no contexto do inglês como língua estrangeira

Fernanda Costa Ribas

Resumo


Este estudo qualitativo, conduzido em uma escola pública no Brasil, trata da influência dos fatores pessoais – crenças, expectativas e auto-conceitos na motivação de alunos para aprender inglês como língua estrangeira, à luz das teorias do “eu”. Essas teorias enfatizam a força das percepções que os indivíduos têm de si mesmos, das aulas de inglês e do processo de aprendizagem enquanto reguladoras do comportamento, as quais podem influenciar o grau de engajamento dos alunos no aprendizado da L2. Os resultados apresentados neste artigo mostram como os fatores pessoais podem desencadear ou impedir a motivação e como eles são sensíveis às condições do contexto de aprendizagem, como por exemplo, os recursos oferecidos pela escola. Apresentamos também estratégias para lidar com a motivação dos aprendizes, apesar das restrições contextuais comumente observadas nas escolas públicas brasileiras.


Palavras-chave


auto-conceito; motivação do aluno; ensino e aprendizagem de inglês

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.