A reescrita no contratempo: tempo de reconhecer a instrução, tempo de compreender a ação, tempo de apropriar-se da interlocução

Silvana Silva, Valdir Flores

Resumo


Este artigo apresenta uma discussão sobre a instrução em ambiente técnico e educacional. Em nossa breve revisão teórica, observamos que instrução tem definições diferentes para os Estudos Cognitivos, para a Linguística do Texto e para Projetos de Escrita Criativa. O principal objetivo é problematizar a noção de instrução em uma situação de escrita autoral. Para tal objetivo, apresentamos a fundamentação teórica da Linguística da Enunciação (BENVENISTE, 1988, 1989), em especial as noções de sujeito e correlatas, tempo e processo de enunciação. Analisamos algumas instruções em uma situação de orientação de artigo de conclusão de curso de Especialização em Linguagem e concluímos que a instrução bem sucedida é aquela que permite ao aluno novas interlocuções.

Palavras-chave


Instrução; reescrita; enunciação; tempo

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.