Comportamento diretivo/requisitivo do professor de inglês como língua estrangeira Foco no núcleo do ato

Rejane Teixeira Vidal

Resumo


Este trabalho investiga os padrões de variação pragmática na interação em sala de aula. Estuda-se a questão do comportamento diretivo/requisitivo do professor de inglês como língua estrangeira, no contexto brasileiro, comparando-se o discurso do professor de inglês, falante nativo, com o do professor falante não-nativo de inglês, frente a aprendizes de três diferentes níveis de proficiência: elementar, intermediário e adiantado. A fundamentação teórica da pesquisa se apóia na Teoria dos Atos da Fala (Searle, 1971) e, principalmente, no esquema de codificação do projeto CCSARP (Blum Kulka et al. 1989) que propõe uma taxonomia para se classificar tipos de estratégia re quisitiva, numa escala de tripartite de (in)diretividade com, ao todo, nove subtipos de estratégia. O estudo revela que embora o comportamento diretivo de ambos os professores não tenha sido diferente quanto aos níveis de indiretividade, mostrou diferença significativa em relação à freqüência na distribuição dos tipos de estratégia requisitiva. Outrossim, o fato de que ambos, professores nativos e não-nativos, foram mais indiretos com aprendizes de nível adiantado corrobora sua sensibilidade em relação ao nível de proficiência de seus alunos.


Palavras-chave


comportamento diretivo/requisitivo, ato diretivo, pedido, indiretividade, estratégia requisitiva

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.