Arquiteturas discursivas na moldura do espaço: sobre o corpoarte no onde do bronze e do aço

Maria Thereza Veloso

Resumo


Sob a perspectiva teórica da Análise do Discurso de filiação francesa, este trabalho tem por foco interpretar o corpo como uma materialidade discursiva artisticamente modelada e mecanicamente posta em movimento. Formou-se o arquivo com imagens de esculturas a céu aberto. Na perspectiva de uma estética que alude à questão da arte do pós-humano, são a Estátua do Amor, também conhecida como Homem e Mulher, assinada pela escultora georgiana Tamara Kvsitadze a partir de uma obra literária, e A sobrevivência do mais gordo, no Brasil também conhecida por O peso da justiça, do dinamarquês Jens Galschiot. A primeira constitui-se por duas esculturas em aço, que formam um conjunto único ao se abraçarem diariamente, em Batumi, Geórgia. A segunda, em Odensa, na Dinamarca, constitui-se de um bloco único, em bronze, representando a visão do sujeito artista escultor sobre a Justiça e sua relação com as parcelas mais vulneráveis da sociedade capitalista.

Palavras-chave


Discurso; Arte; Pós-humano.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.