Silêncio na Pinacoteca: Estudo para Libertação dos Escravos no campo dos discursos

Walker Douglas Pincerati

Resumo


Este trabalho dá continuidade à análise da pintura Estudo para Libertação dos Escravos (1889), de Pedro Américo (1843-1905), que foi motivada e iniciada em trabalho recente (Pincerati, 2016). Pode-se dizer que a análise realizada aqui parte das considerações de E. Orlandi (2002) sobre o silêncio e, num dado momento do percurso, evoca S. Freud para pensá-lo como retorno do recalcado, em que a negação é símbolo de resistência e de desvio daquilo que não pode vir à tona.

Palavras-chave


Discursos; Pintura; Silêncio; Recalque; Negro

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.