A textualização da resistência por meio da tatuagem “Demônio”

Naiara Souza da Silva, Ercília Ana Cazarin

Resumo


Este texto faz parte de um conjunto de trabalhos que vêm sendoconstruído a fim de compreendermos o funcionamento da resistênciapor meio de sua textualização na tatuagem. A tatuagem é aquientendida como uma prática discursiva de individualizar o corpo, cujacorporeidade configuraria um gesto simbólico de resistência, deconfrontação, de transgressão ou de subversão do sujeito tatuado, poisentendemos que por meio do corpo, o sujeito significa-se e significa.Nesse caminho, pensamos que se tatuar, enquanto prática deresistência pode refletir tensões sociais e culturais que manifestam umaatitude de distanciamento simbólico perante padrões dominantes daordem social. Com base no que precede, nosso objetivo é compreendera formulação/textualização da tatuagem “demônio”, relacionando-a àquestão da resistência e da identificação. Para tanto, filiadas na teoriada Análise de Discurso (AD) de tradição pecheuxtiana, partimos dealgumas questões norteadoras: i. como os sentidos que emergem datatuagem “demônio” fogem do estereótipo sedimentado na memóriasocial? ii. a tatuagem, nesse caso, pode ser entendida como uma formade materialização da resistência do sujeito, na qual encontra espaçopara textualizar a diferença e sentidos outros? Nesse ínterim, buscamoscompreender a relação do sujeito com seu corpo através do nossoobjeto de análise. Corpo que, enquanto suporte, textualiza discursos eproduz sentidos. São esses sentidos que nos instigam, nas suasmanifestações e/ou encobrimentos.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.