Pares mínimos: são eles adequados para ilustrar as confusões de significado na pronúncia incorreta de aprendizes brasileiros de inglês?

Neide Cesar Cruz

Resumo


Este artigo tenciona responder a seguinte questão: Pares mínimos são apropriados para exemplificar má compreensão de palavras devido a desvios de pronúncia produzidos por aprendizes brasileiros de inglês? A fim de responder a essa questão, parte dos resultados obtidos em uma pesquisa que investigou a inteligibilidade da fala de aprendizes brasileiros de inglês é mostrada. Baseando-me nesses resultados, sugiro que não é possível fazer generalizações e afirmar que pares mínimos não são apropriados para exemplificar má compreensão de palavras. Argumento, no entanto, que o contexto lingüístico, ou qualquer outra variável que possa influenciar a compreensão de ouvintes, deve ser incluído quando pares mínimos são utilizados para exemplificar a má compreensão resultante de desvios de pronúncia produzidos por aprendizes brasileiros de inglês.


Palavras-chave


pares mínimos, desvio de pronúncia, má compreensão

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.