Pires de Oliveira, Roberta; Quarezemin, Sandra. "Gramáticas na escola". Petropólis: Vozes, 2016, p. 184p.

Aquiles Tescari Neto, Priscila Marques Toneli

Resumo


O livro de Roberta Pires de Oliveira e Sandra Quarezemin aposta na metodologia de investigação da Linguística Formal, sobretudo no método negativo chomskyano – que consiste no julgamento de gramaticalidade de sentenças (cap. 3) –, para sugerir uma metodologia de trabalho em sala de aula, cujo objetivo primeiro é despertar a curiosidade do aluno pela investigação científica, tomando, como objeto de estudos, a gramática – aqui entendida no sentido de Chomsky (1986), i.e., como “conhecimento internalizado” (p. 43) – de sua língua materna e a de outras línguas à disposição no espaço escolar. A obra questiona (i) o silenciamento dos documentos oficiais em relação à contribuição que teorias formais teriam ao ensino de língua como também (ii) problematiza os resultados, infelizmente ainda negativos, das avaliações a que se submetem os alunos da educação básica, como o teste de Pisa, apesar de terem se passado, conforme apontam as autoras, vinte anos desde a publicação dos PCNs (p. 25).


Palavras-chave


Ensino de gramática; linguística formal; gramática na escola; método científico; gramática gerativa; ensino de língua portuguesa; formação de professores

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.