Repensar os cursos de letras

Marcos LS Góis

Resumo


Este ensaio lança algumas indagações a respeito das licenciaturas em Letras, considerando seu papel político-social no que tange ao ensino de língua portuguesa e de outras linguagens na contemporaneidade, bem como à formação de cidadãos. Ao colocar em relação ensino, linguagem e cidadania, sustenta que, para fazer dialogarem diversos saberes, a linguagem e seu ensino precisam ser alçados a uma posição significativa no cenário político-educacional, e isso significa, na prática, repensar os cursos de Letras. Esta reflexão, ancorada de modo especial nos trabalhos do sociólogo Boaventura de Sousa Santos e do linguista Kanavillil Rajagopalan, nos estudos críticos sobre linguagens e discursos, contextualiza brevemente os cursos de Letras no Brasil, resgatando opiniões de profissionais e pesquisadores da área; em seguida, traz um panorama teórico sobre a crise educacional; apresenta, por fim, algumas ideias que, embora incipientes, pleiteiam uma Educação Linguística Crítica. A educação linguística precisa oportunizar um ensino que forme indivíduos mais conscientes e responsáveis pelo uso dos saberes, dos conceitos, das ideias, com finalidades emancipatórias.


Palavras-chave


Linguística Crítica; Ensino de Língua; Letras.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.