As representações do brasileiro sobre a língua francesa e suas consequências no ensino para crianças e adolescentes: uma perspectiva bakhtiniana

Deise Cristina de Lima Picanco, Gabriella Fraletti de Souza Rubbo

Resumo


Partindo de uma perspectiva sócio-histórica e discursiva da linguagem, este artigo tem como objetivo avaliar como se constituem no Brasil as expectativas dos alunos em relação à língua francesa e seus possíveis efeitos sobre a aprendizagem. Há, no país, uma tendência ao enaltecimento desta língua que podemos observar ao avaliarmos, a partir da teoria desenvolvida pelos autores do Círculo de Bakhtin, as concepções historicamente construídas pelos sujeitos sobre o idioma francês. A reflexão que surge desta análise nos leva a questionar como este imaginário adentra as salas de aula por meio dos livros didáticos e é percebido, em especial, pelas crianças e adolescentes. Perguntamo-nos como estas representações podem afetar a maneira como estes sujeitos aprendem a língua e de que forma o processo de ensino-aprendizagem se relaciona com este imaginario.


Palavras-chave


Língua francesa; Representações; Bakhtin.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.