À procura da inteligibilidade da fala: o caso das vogais altas anteriores do inglês produzidas por aprendizes brasileiros

Alison Roberto Gonçalves, Rosane Silveira

Resumo


O presente estudo investigou a inteligibilidade das vogais altas anteriores do inglês focando nas características acústicas dessas vogais produzidas por aprendizes brasileiros. Os falantes foram 20 estudantes brasileiros que gravaram sentenças contendo palavras com as vogais /i/ e I/. Para testar efeitos de proximidade espectral na inteligibilidade, um critério baseado na proximidade espectral do primeiro formante (F1) foi estabelecido. Os ouvintes foram 32 usuários de inglês de 11 línguas-maternas diferentes que fizeram um teste de inteligibilidade em que deveriam transcrever a última palavra nas sentenças do teste. Resultados indicaram que a vogal tensa foi mais ininteligível, pois era inadequadamente transcrita pela vogal frouxa. Em uma análise qualitativa, considerando o item lexical que continha cada vogal, observou-se que processes fonológicos presentes nestas palavras, tais como desvozeamento de consoantes e palatalização, afetaram consideravelmente a inteligibilidade da fala. Ouvintes não demonstraram-se sensíveis às mudanças do primeiro formante e julgaram a inteligibilidade das vogais baseando-se em pistas duracionais.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.