O que há em um nome? O estado-da-arte da autonomia na aprendizagem de línguas

Augusto César Luitgards Moura Filho

Resumo


O interesse em abordagens que envolvam a autonomia do aprendiz1 na aprendizagem de línguas continuará a crescer devido à necessidade de reconhecer-se, cada vez mais, a importância das vozes e das escolhas dos aprendizes no processo de aprendizagem. Neste artigo, apresentamos, inicialmente, as origens históricas da aprendizagem autônoma, o desenvolvimento do conceito de autonomia e as implicações deste na aprendizagem de línguas estrangeiras. Em seguida, desenhamos um “estado-da-arte” desse princípio pedagógico. O texto aborda, também, questões relativas ao treinamento de aprendizes, aos papéis do professor e ao perfil do aprendiz autônomo como uma contribuição aos interessados em conhecer mais esse assunto.


Palavras-chave


autonomia; auto-instrução; aprendizagem de língua estrangeira

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Qualis: A1 (Letras)

ISSN (impresso):1415-1928

ISSN (digital): 1983-2400

Indexadores: Modern Language Association of America, Cambridge Scientific Abstracts, Latindex, EBSCO Publishing e Linguistics Abstracts.